papo prosaico: chef adalberto

papo
quando vou comer fora de casa, uma das coisas que mais me deixam curioso é saber quem está preparando minha comida. e não tem lugar: seja na casa de um amigo, na casa de uma tia, num restaurante, gosto de saber o que se passa pela mente da pessoa que está preparando meu alimento.

e é nessas horas que acabamos por descobrir um truquezinho, uma novidade, um jeitinho diferente de fazer uma coisa que fazemos sempre. estreiamos hoje a nova coluna do blog, papo prosaico, na qual entrevistaremos profissionais e apaixonados pela cozinha. é essa busca por saber que me levou à minha formação acadêmica (o jornalismo). saber o que está acontecendo no mundo e ao meu redor, o que já aconteceu e o motivo que nos fez chegar até aqui e ser quem somos. a curiosidade esteve presente, sempre.

numa viagem a salvador, em 2013, conhecemos um casal muito gente boa, adalberto e juliana. conversa vai e vem, eis que descobrimos que juliana partilhava da mesma formação profissional do meu parceiro – direito – e adalberto da minha – comunicação social, apenas habilitações diferentes: ele publicidade, eu, como já dito, jornalismo. e uma coisa que os quatro tinham em comum? apreciar uma boa comida. descobrimos, também, que adalberto, como eu, cozinha!

recentemente, resolvi propor um bate-papo sobre isso, sobre essa paixão em comum que é a cozinha, sobre a ‘arte’ de praticar amor através do paladar, de abraçar através de um bom prato. e,  claro, de, enfim, servir a quem amamos. no caso dele, agora, que transformou o hobby em profissão, servir também a quem paga pelo seu tempo e dedicação.

papo prosaico entrevista chef adalberto schlumberger vitchmichen

cozinha prosaica: como foi seu primeiro contato com a cozinha?
chef adalberto schlumberger vitchmichen: 
desde pequeno, sempre me interessei pela cozinha. a princípio, observando principalmente a minha avó paterna, e uma funcionária que trabalhava na fazenda da nossa família. posteriormente, já morando sozinho, na época da universidade, comecei a me aprofundar mais e cozinhar sempre para os amigos. deste momento até o início do curso de chef, entrando definitivamente na área, foi um pulo.

cozinhap: qual o ingrediente mais exótico que você já usou?
chefadal: no meu curso, já trabalhei com diversos ingredientes exóticos para o brasileiro, como o foie gras e as trufas italianas. mas, uma das linhas de cozinha que mais me atrai é a que utiliza as carnes exóticas, como pato, javali, faisão e outros, que hoje estão no mercado com origem controlada.

cozinhap: o que mais te influencia ao criar seus pratos?
chefadal: a minha culinária é baseada na ideia de mostrar novos sabores e combinações deles para as pessoas que provam da minha comida. acho que o brasileiro, em sua maioria, ainda é muito reticente a novas experiências, então procuro inserir sabores e sensações diferentes, harmonizados de uma forma que se tornem agradáveis, mesmo aos paladares mais sensíveis.

cozinhap: qual a maior dica que você pode dar aos nossos leitores quando se aventurarem na cozinha?
chefadal: a maior dica que eu posso dar é começar do básico, do arroz e do feijão, pois aí, sem perceber, adquire-se técnica. o que observo muito hoje são cozinheiros de receita, que gostam do rebuscado sem saber o simples, e assim fazem uma cozinha que não tem a alma e a mão da pessoa, é apenas uma réplica.

chefadal

cozinhap: como funciona seu processo de criação?
chefadal: como qualquer processo criativo, falo isso pela minha formação em publicidade, acho que a criação na cozinha vem das experiências pessoais: quanto mais sabores, métodos e cozinhas diferentes experimentamos, maior é o repertório. a partir daí, é uma questão de gosto e feeling, combinar sabores que se harmonizem e apresentá-los de forma diferenciada, pois acredito muito em uma cozinha tão rica visualmente quanto é de sabores.

cozinhap: até pouco tempo, você não tinha formação técnica, como o cozinha prosaica não tem. como foi seu curso?
chefadal: até pouco tempo, eu não havia feito curso algum. a vontade veio quando decidi tornar o hobby da cozinha em profissão. a princípio, comecei achando ser uma formalidade, para demonstrar aos meus clientes a mudança do quase amadorismo para o profissional. no entanto, hoje vejo que é muito além disso. o curso ensina a enxergar a cozinha de forma diferente, simplificando assim todo o processo de criar uma refeição. como qualquer outra profissão, a culinária tem seu vocabulário, suas ferramentas e suas técnicas e, quando domina-se todas elas, tudo fica mais prazeroso. recomendo a experiência tanto a pessoas que querem esse up profissional, como para pessoas que são realmente apaixonadas pela cozinha. vale muito a pena.

cozinhap: qual a sua maior alegria na cozinha?
chefadal: com certeza, para quem gosta de cozinhar, o maior prazer é quando seu cliente, amigo ou seja quem for que esteja degustando seu prato, saia satisfeito. mas, mais que isso, eu gosto quando essa pessoa entende a mensagem que eu quero passar com aquele prato. a cozinha é uma das maiores riquezas culturais de todos os povos, e conta muito de suas histórias e suas tradições. quando apresento um novo sabor ou ingrediente ao meu cliente, não é apenas pelo exótico, e sim para tentar levar ele a um contato, por meio do paladar, com essas histórias, como a do próprio brasil e outros lugares.

cozinhap: o que você diria para uma pessoa jamais fazer enquanto cozinha?
chefadal: é m
uito complicado, mas se fosse para dizer uma coisa, seria: cozinhe com tempo e nunca com pressa. além disso, gostaria de dar um conselho: experimente o diferente e aumente seu repertório. o cozinheiro é o seu repertório.

cozinhap: conte um segredo da sua cozinha!
chefadal:
 sinceramente, eu não vejo um segredo na minha cozinha que não seja o gosto pelo que eu faço, pois a boa cozinha não é difícil, mas sim trabalhosa, e só gostando muito você vai atrás de todas as técnicas e detalhes para transformar um prato bom em um prato excelente!

divisao

para contratar o chef adalberto schlumberger vitchmichen, é preciso estar em ponta grossa ou curitiba (pr). o chef possui sua empresa de jantares personalizados, a fat jack jantares personalizados. o telefone de contato está abaixo. a página do facebook pode ser acessada em facebook.com/fatjackjantarespersonalizados.

chef adalberto
telefone de contato (ponta grossa e curitiba): (42) 9163-5041

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s